MÃES JULGAM?


mães julgam
FOTO: FREEPIK
   Recentemente circulou nas redes sociais a foto de uma mãe no aeroporto que repercutiu de uma forma a qual nenhuma de nós gostaríamos, principalmente por expôr sem permissão o bebê, imagina você estar descansando tranquilamente, pega seu celular e ver que sua foto está em tudo que é grupo de mensagens, sites e inúmeras pessoas te xingando, te julgando?

   Mães, seres cujo o julgamento faz parte de seu dia a dia, seja ela a que aponta o erro ou a que recebe as críticas, tudo começa ainda na gravidez, as primeiras alfinetadas nos pegam de surpresa, “mas foi planejada? Ah poxa o meu bebê foi planejado, é super desejado e amado por todos” (peraí, quer dizer que não amo o meu filho, que ninguém está feliz com o seu nascimento?), “meu deus você vai fazer o parto tal, pra quê, tá louca?”, “que desejo o quê, isso e frescura”, “ixi ela engravida e eu que tenho que me levantar pra dar lugar no ônibus?”, "pra escolher roupa ela passa o dia todo em pé, mas pra pagar tem prioridade", e tantas outras situações inusitadas.

   Depois que o bebê nasce então, te julgam novamente pelo tipo de parto, pela amamentação (se você conseguiu amamentar, se quando conseguiu até quando irá fazer isso), pelos quilos a mais que você ganhou, pela quantidade de roupa que você comprou para o bebê (se foram muitas você é a louca exagerada esbanjadora, se foram poucas você é a sem coração que não se importa com o bebê "nem parece que ama o filho" O.o), pelos brinquedos (se você não compra os dos comerciais é a que não se importa com a felicidade do filho), pela comida, pelo desenvolvimento natural dele, pela educação, enfim, todos esses aí já fazem parte do meu mundo materno o qual faço parte a quase 3 anos, imagina daqui pra frente ne? Me preparando psicologicamente desde já!

   Diariamente surge uma novidade nesse vasto mundo tecnológico onde até o cachorro da família tem uma câmera, é assustador saber que podemos ter o nosso rostinho ou outra parte do corpo estampada por aí a troco de nada, é fácil estar passeando pela rua, ver uma pessoa que acabou de cair da bicicleta, tirar uma foto (ajudar pra quê ne?) postar nas redes sociais e colocar a legenda “ciclista diz ter sido atropelado por um grupo de pinguins dançarinos” pronto, a foto se espalha junto à uma mentira que pode custar até vidas, sim, é só lembrar dos casos onde algumas pessoas foram acusados de serem sequestradores satanistas, o que resultou em perseguições e até mesmo mortes.

   Como se defender nesse mundo onde para se ter um certo prestígio você precisa publicar fotos de situações inusitadas, engraçadas, preocupantes e o pior, de tragédias? Isso parece até ser a "profissão" de gente sem noção, mas não me vem ao caso ficar falando dessa necessidade obsessiva das pessoas em ganhar curtidas, seguidores, etc, com a desgraça alheia.

   O ponto aqui em questão é a maternidade, ou melhor, o julgamento excessivo que existe nesse nosso maravilhoso e perfeito mundo de mãe (só que não ne?) que por pouco rompem a barreira do respeito, da compreensão, da sororidade que por sinal é quase inexistente.

   Em relação à mãe que estava mexendo em seu celular no aeroporto, muitas outras mães a criticaram, xingaram de tudo o que se possa imaginar, porém esqueceram que algo muito parecido ocorre nos mais lindos e perfeitos lares, onde mães e pais que não dão tanta atenção aos filhos para adivinhem o quê? Exatamente! Mexerem no celular, tablet, computador.

   As vezes o bebê está no berço, na cama, sofá, cadeirinha musical, carrinho ou seja lá o que for, em frente da TV para ficarem quietos, mas em determinado momento eles choram, se aborrecem, pois querem a atenção, o colo, o aconchego dos pais, mas eles se encontram tão ocupados conectados à outro universo que se aborrecem com a criança, gritam, ou só dizem "uhum" para se livrarem mais rápido e voltarem para o seu mundo virtual, e não gente, não sou contra, não sou uma anti-tecnologia, até por que as uso, mas é preciso repensar nossas próprias atitudes antes de querer bancar a juíza por aí.

    Novamente digo, mães são julgadas por outras mães por cada passo, cada atitude, afinal mãe é mãe, ela tem que dar conta e segurar a barra só, e o pai? Quando o pai faz algo hilário com o bebê, como por exemplo, colá-lo na parede com fitas, é um absurdo certo? Não! Isso é engraçado, é coisa de pai, vira meme e tudo, mas vai uma mãe fazer algo semelhante... pense aí... se fosse um pai no lugar da mãe lá no aeroporto a foto já seria um meme divertido, por quê essa cobrança excessiva da perfeição em nós mães?

   Ser mulher não é fácil, ser mulher e mãe então, como eu disse em uma publicação para o dia da gestante, temos que ter uma capa super protetora de palpites, por quê vou te contar, não é fácil...

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR!

Postar um comentário

 
Sentido Materno - 2015. Todos os direitos reservados ©
LAYOUT PRODUZIDO POR INVENTO DESIGN e MODIFICADO POR SENTIDO MATERNO - Imagens por Freepik | Powered by Blogger