GIZ DE CERA DE ABELHA TIJOLO

giz de cera tijolo
Foto: Brinquedos Waldorf
   O primeiro contato da Iara com o desenho foi através do lápis comum de escrever, depois caneta, lápis de cor e giz de cera bastão comum, mas o pai e a vó da Iara sempre me alertavam quanto ao tipo de material que eu oferecia para a pequena, pois seus formatos eram inadequados para a fase em que ela se encontra, até por que, como a vó da Iara é pedagoga Waldorf, ela não apoia esse estímulo precoce à escrita, e que eu deveria substituir as canetas e lápis por Giz de Cera de Abelha Tijolo.

  • "Introduzida pelo filósofo e educador austríaco Rudolf Steiner (1861-1925) em 1919, a pedagogia Waldorf defende que os pequenos (com até 7 anos de idade) tenham apenas uma responsabilidade na escola: brincar. Ao participar de jogos e atividades lúdicas, meninos e meninas desenvolvem diversas habilidades, entre físicas e motoras, além de um estímulo essencial para a vida: a confiança. Segundo a teoria, nessa fase o aluno tende a gastar muita energia e se prepara fisicamente - isso é fundamental para o seu desenvolvimento neurológico e sensorial. Tais capacidades refletem em domínio corporal, linguagem oral e, principalmente, contribuem para a inteligência da criança. Em poucas palavras: na educação infantil, aprimorar essas características é mais importante do que aprender a ler o próprio nome. "Eliminar atividades que favorecem a criatividade e o pensamento pode ter consequências graves. Infelizmente, muitas dessas práticas estão sendo substituídas pela escolarização antecipada", alerta Luiz Carlos de Freitas, diretor da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)." 

    Não sou pedagoga, e nem uma "Mãe Waldorf", apenas converso com a vó da Iara sobre o assunto, leio vários sites e livros da Pedagogia Waldorf, fiz alguns cursos livres e tento aplicar o pouco que sei aqui em casa, então não tinha essa "visão" sobre a escrita, leitura, artes, materiais, brinquedos, enfim, de quase tudo, e somente após a vó da Iara trazer o giz de cera que ela utilizava nas aulas com sua turma do maternal, que confesso que nunca havia visto giz nesse formato, passei a oferecer para a Iara, mas não é só ela que rabisca não, a família toda como sempre, embarca nas brincadeiras.

  O giz de cera de abelha no formato de tijolo é indicado para crianças que ainda não estão familiarizadas com a escrita, com a "pega" do lápis, pois seu formato retangular permite um melhor encaixe na mão dos pequenos, sem necessitar o emprego de muita força para rabiscar o papel. É indicado também para bebês/crianças que ainda possuem o hábito de levar tudo à boca, não que o giz seja comestível, mas a sua composição é de resinas naturais, e o cheiro da cera de abelha repele um pouco a vontade de "comer", evitando intoxicações, além de que são bastante resistentes, ótimo para os pequeninos que estão na fase de jogar tudo no chão.

   Como dito antes, a Iara já havia tido o contato com lápis comum, caneta e giz de cera bastão, mas o fato dela não saber segurar direito tornava a brincadeira frustrante, ela logo largava tudo, se aborrecendo e chorando, ou procurava outra coisa para brincar e nem se preocupava em desenhar, somente queria raspar com os dentes, morder e quebrar o giz, mas com esse tipo de giz de cera tijolo a brincadeira se tornou mais interessante, ela se concentra mais, passa mais tempo rabiscando e pondo no papel toda a sua criatividade, rir e até beija o papel, ela pode até pensar em levar o giz para a boca mas logo desiste por quê percebe que ele não se quebra e nem da para raspar com os dentinhos, o cheiro e gosto da cera de abelha também não a agradaram muito, além de que recentemente, devido ao formato retangular, ela passou a empilhá-los como se fossem bloquinhos (mas são bloquinhos né?), não sei se todos pensam como eu, mas particularmente achei incrível essa capacidade que ela teve de ressignificar os "tijolinhos".


  Independente do primeiro material oferecido para a criança, ela tende a fazer pequenos riscos e depois círculos, caracóis, espirais que podem começar de dentro para fora ou vice-versa, mexendo não só a mão, como o braço também. Os desenhos da Iara Di Luna são Garatujas Desordenadas, ou seja, traços amplos e desordenados onde não há preocupação se um traço irá cobrir o outro, desenhando simplesmente pelo prazer do movimento, de ver os resultados de suas ações no papel, em alguns momentos ela parece explicar o que está desenhando, chama todos a sua volta para que vejam o seu desenho, mexe as mãos, a cabeça, faz movimentos com o corpo todo e fala bastante, e a mãe aqui fica babando é lógico.

giz de cera tijolo

   A maioria dos "tijolinhos" já estão bem gastos, alguns perdemos e outros refizemos misturando as vezes as cores, quebrando-os em pedaços, pondo em cubas de gelo no formato retangular e em seguida em banho maria para derreter, depois leva-se ao congelador e aguarda algumas horas para estar pronto o novo giz de cera, e sim, guardo a maioria dos rabiscos dela.

giz de cera tijolo

E para concluir, algo a se pensar:
  • Um lápis permite muito poucas nuances de cor, e praticamente nenhuma na grossura do traço que, aliás, é uniforme nas canetas hidrográficas. Por outro lado, com o giz de cera conseguem-se diferentes tonalidades de cor conforme o aperte mais ou menos no papel. Juntando-se a isso grandes variações na grossura do traço pela inclinação do giz, obtêm-se formas muito mais plásticas. Note-se que na natureza cores uniformes só aparecem, e raramente, nos minerais. Nas plantas e animais, e também nas nuvens, rios e lagos, as cores nunca são uniformes. (O exagero da uniformidade de cor e portanto do artificialismo, prejudicial a crianças – que são seres muito ligados à natureza e ao ambiente, separando-se deles gradualmente até os 21 anos -, ocorre nos desenhos feitos com computador.)
  • "No caso do lápis de cor entra-se em contato com um toco fino de madeira, envolvendo a grafite colorida que misteriosamente foi parar lá dentro. No caso da caneta hidrográfica, o contato é com um pedaço de plástico artificial, uniforme e de cheiro desagradável. No caso do giz de cera, a criança sente um material muito menos artificial; a cor do lápis ou bloco não é totalmente uniforme, e o contato é com o próprio material que vai produzir a cor no papel."

8 comentários

  1. Que graciiiiiiiiiiiiiinha seu blog!!!!
    Nossa, super delicado, super bem montado!
    Mas eu não sou mãe, então fico meio por fora de qlqr coisa desse tipo.
    Mas seu blog é autêntico, não conheci nenhum outro com essa temática na blogosfera!
    Sucesso pra vc!

    ResponderExcluir
  2. Que post legal, gostei muito de saber sobre esse giz, vou usar quando tiver filhos.
    Adorei seu blog, muito fofo *-*

    Beijos:*

    ResponderExcluir
  3. eu achei esse giz muito fofinho, além de ter adorado a ideia de ter algo que incentive as crianças a começarem a mexer com coisas que envolvam escritas e desenhos, hehe :)
    beijos.

    ResponderExcluir
  4. Super interessante esse giz de cera. Eu não conhecia e achei legal principalmente pelo fato do cheiro. Criança coloca tudo na boca e às vezes é até perigoso. Bom saber que tem produtos mais "seguros" para as crianças.
    Bjinhos!

    ResponderExcluir
  5. Eu AMO a ideia da pedagogia Waldorf, já ouvi falar por viver numa família de pedagogas, acho simplesmente incrível. Já conhecia esse giz também e achei a coisa mais fofinha do universo sua pequena empilha-los como tijolinhos e ir além do que esperamos com um objeto... criatividade e inteligência demais! Aaah, morri de amores pelas fotos!
    Beijos,
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
  6. Eu AMO a ideia da pedagogia Waldorf, já ouvi falar por viver numa família de pedagogas, acho simplesmente incrível. Já conhecia esse giz também e achei a coisa mais fofinha do universo sua pequena empilha-los como tijolinhos e ir além do que esperamos com um objeto... criatividade e inteligência demais! Aaah, morri de amores pelas fotos!
    Beijos,
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
  7. Que legal eu não conhecia esse giz de cera,achei bem legal a ideia e parece ser mais prático e seguro do que aqueles comuns.
    www.estilosamorena.com

    beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Alana <3
    Adorei esses giz, achei uma fofura! E eu amo a Pedagogia Waldorf. Faço psicologia (me formo esse ano) e adoro o estilo de aprendizagem. Sua pequena vai se beneficiar bastante e crescer bem melhor, psiquicamente falando, com essa linha de pedagogia :33 Parabéns pela iniciativa linda!

    Beijinhos doces =ˆ•.•ˆ=
    http://pequenomundodesarah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Sentido Materno - 2015. Todos os direitos reservados ©
LAYOUT PRODUZIDO POR INVENTO DESIGN e MODIFICADO POR SENTIDO MATERNO - Imagens por Freepik | Powered by Blogger